Português Italian English Spanish

Vacinas encontradas pela em operação serão entregues ao Ministério da Saúde

Vacinas encontradas pela em operação serão entregues ao Ministério da Saúde


PF cumpriu mandados de busca e apreensão na garagem da Saritur nesta sexta-feira

As vacinas contra a Covid-19 que forem encontradas pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Camarote, realizada na manhã desta sexta-feira (26), em Belo Horizonte, para investigar a suposta vacinação clandestina realizada por empresários do setor de transporte e políticos mineiros nesta semana, devem ser entregues para o Ministério da Saúde. A determinação é da 35ª Vara da Justiça Federal que atendeu a um pedido do Ministério Público Federal (MPF), que também investiga o caso.

Em sua decisão, o juiz federal afirmou que “a gravíssima pandemia que assola o mundo todo e o Brasil de forma mais severa, ceifando centenas de milhares de vidas em nosso país, se apresenta como uma guerra, e uma guerra só se vence com esforço e sacrifício coletivos. E é justamente diante de uma situação como essa que deve imperar o espírito de solidariedade, de auxílio mútuo, não se admitindo que cidadãos se coloquem em posição privilegiada”. 

O magistrado ainda disse que a luta pela vacina é uma luta coletiva e “nesse cenário caótico, de evidente escassez de oferta da vacina, indícios de burla à regras de preferência na ordem de imunização são inadmissíveis, especialmente quando, em tese, podem configurar crime”.

A Operação Camarote da PF apura a suposta importação irregular de vacinas contra Covid-19 e sua receptação, que se forem confirmadas podem configurar a prática de quatro crimes: importação de mercadoria proibida, caso a eventual aquisição das doses tenha ocorrido antes da aprovação de Lei Federal que autoriza o setor privado a adquirir vacinas; descaminho, se as vacinas tiverem sido compradas após a aprovação da lei; falsificação ou adulteração de produtos destinados a fins terapêuticos, se o episódio tiver ocorrido antes da vacina da Pfizer obter o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); e receptação, pelas pessoas que receberam a vacina.

Durante a operação, a PF cumpriu seis mandados de buscas e apreensão em endereços ligados a Viação Saritur. Em um deles, na garagem da Companhia Coordenadas de Transportes, no bairro Caiçara, na região Noroeste da capital, que pertence à parentes dos sócios da Saritur, os policias saíram carregando malotes com documentos recolhidos e vasculharam até o lixo a procura de provas.

 

(*) Com informações O Tempo


-----------



Se você quer anunciar no Diário do Cerrado e fazer bons negócios aqui é o seu lugar. Venha para o Diário do Cerrado - ”Aqui a Parceria é certa”. Fale agora - (34) 999690040 (WhatsApp) - Acesse www.diariodocerrado.com.br

 ()*