Português Italian English Spanish

Anvisa aprova 1º autoteste de saliva para covid-19 e medicamento preventivo

Anvisa aprova 1º autoteste de saliva para covid-19 e medicamento preventivo


Outro autoteste também foi aprovado. Com novos registros, agora são quatro liberados no país

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta sexta-feira, 25, dois novos autotestes de covid-19. Trata-se da primeira vez que a agência reguladora aprova um autoteste que faz o uso da saliva. Com os novos registros, existem agora quatro autotestes para covid liberados no Brasil.

O teste de saliva aprovado é o COVID Ag Oral Detect, registrado em nome da empresa Eco Diagnóstica Ltda. Ele será fabricado no Brasil e é o segundo teste dessa empresa aprovado no país.

A coleta requer que o usuário cuspa a saliva em um copo. Depois, com o cotonete que vem no kit, a pessoa transfere a quantidade necessária de saliva para um tubo de extração. O segundo autoteste aprovado é o SGTi-flex COVID-19 Ag, registrado em nome da empresa Kovalent do Brasil Ltda. Ele também será fabricado no Brasil.

Segundo a Anvisa, o produto foi desenvolvido para coleta de amostra por swab nasal (cotonete no nariz), de forma não profunda (nas narinas) e terá embalagens com 1, 2 e 5 testes.

Anvisa aprova novo medicamento para prevenir a covid-19

Evusheld é o primeiro remédio autorizado no Brasil com indicação para uso profilático

O uso emergencial em caráter experimental de mais um medicamento contra a covid-19 foi aprovado nesta quinta-feira (24). O Evusheld (cilgavimabe + tixagevimabe) é o sétimo remédio no Brasil para tratamento do coronavírus.

O medicamento é o primeiro autorizado no país com indicação para uso profilático, ou seja, em indivíduos que não estão infectados com a covid-19, e é composto por dois frascos para aplicação intramuscular. 

Em nota, a Anvisa disse que para a aprovação do remédio considerou que pessoas imunocomprometidas — que possuem os mecanismos de autodefesa do corpo comprometidos — estão mais vulneráveis a ter uma resposta imunológica menor à vacinação contra a covid-19.

Para a aprovação, a agência nacional também levou em conta a existência de pessoas que possuem contraindicação à vacina contra covid-19, por exemplo, em razão de reação alérgica. O pedido de uso emergencial foi apresentado pela empresa AstraZeneca em 17 de dezembro de 2021.

Atualmente, o mesmo medicamento possui aprovação para uso emergencial pela Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA, assim como pelas autoridades reguladoras da França, Israel, Itália, Barein, Egito e Emirados Árabes Unidos. Entretanto, ele ainda está em análise pela Agência Europeia de Medicamentos.

*Revista Oeste

 

 

Haverá uma Terceira Onda da Covid-19?

Voto computado com sucesso!
CORONAVÍRUS
Total de votos:
SIM
NÃO

 

Colunistas

          

 
 
Marcos Remis dos Santos 
(Marcão)