Português Italian English Spanish

Qual o limite para o aumento do preço do combustível no BRASIL?

Qual o limite para o aumento do preço do combustível no BRASIL?


Se produzir o combustível está mais barato, por que temos que pagar mais caro?

*Gustavo Brasileiro-Brasília/DF - Os combustíveis derivados de petróleo são commodities (a exemplo do trigo, soja, café) e têm seus preços atrelados aos mercados internacionais, cujas cotações em dólar variam diariamente, especialmente neste último ano para cima. 

A gasolina teve aumento de 51% ao longo do ano de 2021 e a probabilidade é que os valores dos combustíveis cresçam ainda mais. Segundo o anúncio da Petrobras, o litro da gasolina vendido nas refinarias passará de R$ 2,78 p para R$ 2,98, um reajuste de 7,19%.
O aumento do preço do barril de petróleo e a valorização do dólar, em detrimento da desvalorização do real impactaram fortemente o preço da gasolina.

A Petrobras responde por cerca de 80% dos combustíveis ofertados no Brasil. 
O valor pago pelo consumidor final é composto por 4 fatores: 1) Preços do produtor ou importador de gasolina “A” 2) Carga tributária 3) Custo do etanol obrigatório 4) Margens da distribuição e revenda.
O preço final da gasolina é composto, portanto, pela produção da Petrobras, mais carga tributária, distribuição, etanol obrigatório e revenda.


O Preço médio da gasolina hoje no Brasil supera os R$ 6,50 reais por litro. Desse valor: 
33,6% refere-se ao preço cobrado pela Petrobras.
10,3% é a Margem das empresas: frete, custos e lucros; chamada Distribuição e Revenda;
11,2% são os impostos federais: Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), partilhada com estados e municípios; o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).
17 % é o Custo do Etanol Anidro adicionado à gasolina. Em uma composição considerada de 73% gasolina A e 27% Etanol Anidro para gasolina comum e aditivada; e 25% para a gasolina premium.
27,9% referente a incidência do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), definido por cada um dos estados e o Distrito Federal. 

Observem que do preço cobrado na bomba de combustível 39,1% são impostos. 

Por outro lado, é preciso destacar que 33,6% do preço na bomba de combustível é definido pela Petrobras, uma estatal que repassa mensamente os reajustes de preço de acordo com o mercado internacional (preço do barril e cotação do dólar) e não conforme os custos de extração de petróleo, considerando que o custo para produzir combustíveis na Petrobrás foi 20% inferior à média destes últimos 16 anos. 

Se produzir o combustível está mais barato, por que temos que pagar mais caro? Especialmente por se tratar de uma estatal. É certo que a lucratividade da Petrobrás tem aumentado consideravelmente, em detrimento do povo brasileiro. 


Avante Brasil.

Gustavo Brasileiro