Português Italian English Spanish

Salles é alvo de ação da PF autorizada por Alexandre de Moraes

Salles é alvo de ação da PF autorizada por Alexandre de Moraes


Agentes cumprem 35 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, mais dois Estados: São Paulo e Pará

A Polícia Federal (PF) iniciou nesta quarta-feira, 19, a operação Akuandaba, depois de receber o aval do juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Na mira da Justiça está o ministro do Meio Ambiente (MMA), Ricardo Salles. Agora, 160 agentes cumprem 35 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, mais dois Estados: São Paulo e Pará. Entre os endereços estão a sede da pasta em que Salles atua, em Brasília, a casa dele na capital paulista e um gabinete no Pará. Conforme a PF, o objetivo é apurar crimes de corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e facilitação de contrabando. Os supostos delitos teriam sido praticados por agentes públicos e madeireiros

Moraes determinou, ainda, a quebra dos sigilos fiscal e bancário de Salles e o afastamento preventivo de 10 servidores do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis, o Ibama, além de funcionários do MMA. Segundo estabeleceu o magistrado do STF, está suspenso o Despacho nº 7036900/2020/GAB/IBAMA. A medida foi elaborada a pedido de empresas com cargas apreendidas no exterior e resultou na regularização de 8 mil cargas de madeira ilegal, segundo a PF. A reportagem entrou em contato com o ministro Ricardo Salles, porém, não obteve resposta até o fechamento desta matéria. O espaço está aberto para a manifestação do titular do Meio Ambiente.

Nomes na mira da PF

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente; Eduardo Bim, presidente do Ibama; Leopoldo Penteado Butkiewicz, assessor especial de Salles; Olivaldi Azevedo Borges, secretário-adjunto da Secretaria de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente; Wagner Tadeu Matiota, superintendente de Apurações de Infrações Ambientais do Ibama; Olímpio Ferreira Magalhães, diretor de Proteção Ambiental do Ibama; João Pessoa Riograndense Moreira Júnior, diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas; Rafael Freire de Macedo, coordenador-geral de Monitoramento do Uso da Biodiversidade e Comércio Exterior; Leslie Nelson Jardim Tavares, coordenador de Operações de Fiscalização; André Heleno Azevedo Silveira, coordenador de Inteligência de Fiscalização; Artur Bastos, analista ambiental.



(*) Com informações Revista Oeste


-----------



Se você quer anunciar no Diário do Cerrado e fazer bons negócios aqui é o seu lugar. Venha para o Diário do Cerrado - ”Aqui a Parceria é certa”. Fale agora - (34) 999690040 (WhatsApp) - Acesse www.diariodocerrado.com.br

 ()*