Banner

Não é novidade.

Estamos num tempo ímpar,

todo mundo têm um computador em casa, vê a notícia “fresquinha” é notícias pelo rádio do telefone, rádios, jornais escritos e conversas informais, e um fato que me chama muita atenção por esses tempos, e que os políticos daqui não atentou ainda, é a grande sede de informação dessas as pessoas, das quais me incluo e que constantemente sabem de um fato e na mesma hora já fazem um juízo de valor, e tem opinião imediatamente, o que felizmente eles não podem controlar.

Hoje falar que essa administração é formada por ladrão e pilantra (opinião de muitos) não é novidade nenhuma, falar que estão roubando o dinheiro publico não é novidade, (a meu ver, falta é transparência) o que muda de uma administração para outra é o preço, se uma pega (embolsa) 5% a outra pega (embolsa) 10% pode esperar que estamos chegando num tempo que vão pegar 20% justamente por falta de controle da coisa publica e não quero nomear culpados porque na verdade somos todos culpados por isso que acontece hoje.

E olhando nossa realidade, está na cara (só não vê quem não quer) que o município tá quebrado, é só andar e ver por ai, é obra que já dura 7 anos, toda hora ela para, obras em escola que já vai para 3 anos! ruas esburacadas, mato tomando conta... Agora se preparem, vão fazer um financiamento na Caixa para recapear o município, se já acabaram com essa geração, vão comprometer essa as gerações no futuro, vão deixar dividas para eles pagarem (contribuintes) que absurdo! a estratégia dessa administração é essa: “sucatear o máximo, deixar a cidade cheia de buracos nas ruas e passar esses buracos para o banco” num financiamento a longo prazo – o buraco de hoje vai virar um buraco de 30anos.

Aposto toda minha restituição do imposto de renda, ano-base 2013, que da uma bagatela de 162,00 (cento e sessenta e dois reais) se o prefeito colocar o projeto de financiar uma verba de 300 milhões para recapar a cidade e colocar em votação, vão fazer um jogo político de jogar a oposição contra a opinião publica, a vida política aqui é assim um dia na boca do sapo outro dia é a vez do outro.

O que gosto mesmo é essa obra de ficção que se chama Patrocínio tudo aqui é uma coisa que não é o que você vê, e só vale o que eles falam! A cidade de Patrocínio não pode se endividar mais do que estar, para recapear a cidade como querem tem de ser a fundo perdido, não é financiando, essa é minha dica! Mas não pode ser desse jeito porque temos muitos Doutores na Administração dessa cidade, os gênios estão a solta como fazendo o avesso do que foi imaginado ou prometido – como se também pensasse em voz alta “Não sei o que fazer” De uma coisa não posso fugir: O abandono de nossa cidade, está causando comoção geral nas pessoas pela proximidade do fato – buracos por todos os lados, saúde ruim, não existe, um tanto quanto num passa de invenção sua! Meu caro cidadão.

 

Aurivan de Freitas Borges

Professor de Matemática, Química, Ciências da Natureza, Filosofa e Tecnologia da Informação, Atualmente Cursa: Administração Publica UFU/UAB – FAGEN (Faculdade de Administração Gestão e Negócios), Pós-Graduação em Matemática, Química e em Controladoria Fiscal.

valquiria_650x88_dn_27102015
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner